3 ideias de sustentabilidade em condomínio para reduzir gastos

Sustentabilidade em condomínios é um assunto que tem sido muito abordado nos últimos anos. Além de ser uma forma de contribuir para a preservação dos nosso recursos naturais, ações de sustentabilidade dentro do ambiente condominial ajudam a melhorar a qualidade de vida dos moradores, a valorizar o patrimônio e permitir que o empreendimento reduza seus gastos.

Falar sobre sustentabilidade nas reuniões de condomínio geralmente é motivo de polêmica. Há os moradores que reclamam, os que defendem o tema com unhas e dentes, os que acham muito trabalhoso realizar mudanças – há de tudo! E, como responsável pelo condomínio, é o síndico quem fica com a incumbência de apaziguar os ânimos, encontrar um meio termo que beneficie a comunidade e colocar em prática.

Leia também:

Pensando nisso, preparamos uma lista com três ideias que você, síndico, pode replicar nos condomínios onde atua. Sabemos que nem todos os condomínios possuem a verba e/ou o espaço suficiente nas áreas comuns para fazer grandes alterações em prol da sustentabilidade. Logo, selecionamos algumas dicas que envolvem pouco (ou nenhum) gasto. Confira:

1. Lixo zero em condomínios

Condomínios residenciais englobam uma grande quantidade de moradores. Apenas na cidade de São Paulo, é estimado que uma em cada três pessoas viva em um desses conjuntos habitacionais. Além disso, calcula-se que uma só pessoa produz cerca de 1 kg de lixo por dia, todos os dias.

Mesmo que a matemática não seja o seu forte, fica fácil compreender que condomínios tendem a produzir uma enorme quantidade de lixo no dia a dia. Assim, o descarte correto de todo esse resíduo se torna muito importante e esse é o foco da prática de lixo zero em condomínios.

Apesar do nome, lixo zero em condomínios significa adotar práticas sustentáveis que causem o máximo de aproveitamento do lixo. E a forma mais fácil de fazer isso é através da separação correta dos detritos, evitando que resíduos recicláveis, orgânicos e rejeitos se misturem.

Após recolhido, o lixo orgânico pode virar conteúdo para composteira, que depois é usado na manutenção dos jardins, das áreas externas e até mesmo da horta comunitária. Ao mesmo tempo, os materiais recicláveis podem servir como uma fonte de renda extra para o condomínio. Deste modo, apenas os rejeitos serão realmente descartados.

Para isso acontecer, o condomínio pode disponibilizar lixeiras de cores diferentes para que a medida seja seguida. Também é necessário que o síndico instrua os funcionários do condomínio e elabora regras com os moradores para que todos obedeçam e compreendam a importância dessa iniciativa.

Leia também:

2. Campanhas de economia de água e energia elétrica

2. Campanhas de economia de água e energia elétrica

Desenvolver campanhas que incentivam os condôminos a diminuir o consumo de energia elétrica e de água pode parecer algo simplório, mas acredite: medidas como essa importam.

Segundo dados da Green Building Council Brasil, entidade brasileira responsável pela certificação mundial de construções sustentáveis Liderança em Energia e Design Ambiental (LEED), prédios com políticas de sustentabilidade apresentam uma redução média de 40% no consumo de água e 20% nos custos com energia elétrica.

Importante lembrar que esse tipo de ação é praticamente sem custo para o condomínio, visto que você pode enviar lembretes aos moradores via aplicativo de gestão condominial ou colar cartazes nos murais. Resumindo, o condomínio só tem a ganhar!

Leia também:

3. Atenção as infiltrações

Todo síndico sabe que infiltrações trazem uma grande dor de cabeça para todos os envolvidos. Além de causar gastos, obras, barulho e sujeira, um vazamento despercebido também gera uma despesa a mais para o condomínio, especialmente quando a infiltração é em uma área comum e/ou a conta da água é dividida entre todos os moradores.

Faça revisões constantes e treine os funcionários do condomínio para detectar sinais de vazamentos como manchas, umidade, mofo e pintura descascada.

Leia também:

Pronto! Essas foram as nossas três dicas de sustentabilidade em condomínios que preparamos para você.

E lembre-se: quando falamos de sustentabilidade, é muito importante notar que atitudes locais influenciam o global. Ou seja, cada vez que um síndico se preocupa com sustentabilidade no condomínio, ele está ajudando a fazer a diferença na cidade e na vida dos condôminos – tanto na saúde, quanto no bolso.

Gostou do assunto? Não esqueça de incluir essas regras no regimento interno do seu condomínio. Faça download gratuito do nosso modelo de regimento interno agora!

Scroll Up