Quarentena: como o aplicativo TownSq está facilitando a comunicação nos condomínios

Diante da epidemia da COVID-19, as recomendações de isolamento dos órgãos oficiais são imprescindíveis. Mas quase ninguém estava preparado para passar uma temporada dentro de casa, criando uma rotina totalmente nova e com o mínimo de contato físico. Alguns recursos, principalmente os tecnológicos, são necessários para que atividades básicas possam continuar acontecendo durante o isolamento, e o aplicativo TownSq é um deles.

O aplicativo TownSq é produto da empresa de mesmo nome, start up líder global em soluções para gestão de condomínios criada por João David (CEO), Denys Hupel (CMO) e Marcos Eich em 2013. Com o app, mais de dois milhões de lares estão vivendo a quarentena sem que a gestão do condomínio seja prejudicada. Mais do que nunca, os recursos disponíveis no sistema estão facilitando a comunicação, seja entre a administração e os condôminos, seja entre os moradores. 

As funcionalidades de comunicação do TownSq tem ajudado o Síndico Augusto Mambrini no contato com os moradores.

O síndico profissional Augusto Mambrini administra nada menos do que 26 condomínios. Para ele, agilidade na comunicação é fundamental, sobretudo agora. “O aplicativo TownSq tem me ajudado bastante nos envios de circulares e avisos rápidos, fazendo com que eu não precise me deslocar aos condomínios, trazendo mais segurança para a saúde dos condôminos e para a minha”, conta. 

A partir das primeiras recomendações de isolamento no Brasil, os desenvolvedores da TownSq modificaram algumas funcionalidades do aplicativo com o objetivo de reduzir ainda mais o contato físico entre moradores e administração. A ferramenta de notificação de entregas, por exemplo, foi rapidamente atualizada: antes da COVID-19, os moradores iam até o local de retirada no condomínio e alguém da gestão recolhia uma assinatura digital no app para confirmar o recebimento. Agora, o síndico ou funcionário tira uma foto do condômino recebendo o seu pacote e nenhuma das partes precisa se aproximar muito, nem tocar a mesma tela. 

Outra mudança importante foi a possibilidade de fechar o calendário de reservas dos espaços comuns, como o salão de festas, os quiosques, etc. Uma vez que os órgãos responsáveis solicitaram o cancelamento de atividades que envolvam aglomerações, o aplicativo facilitou essa etapa para os síndicos, os quais são os responsáveis por esse controle.

Os decretos estaduais e municipais fizeram com que Augusto Mambrini rapidamente tomasse atitudes preventivas para a segurança de todos sob sua gestão. “Consegui realizar a interdição das áreas comuns, como o salão de festas, através do app de maneira muito simples. As notificações aos condôminos também estão sendo enviadas por lá, fazendo com que eles recebam com muito mais agilidade”.

O Síndico Juliano Santaella substituiu as circulares de papel pela digital.

De acordo com o síndico Juliano Santaella, a ferramenta sempre foi importante e atualmente é mais ainda. “Antes, eu achava que o TownSq era um boa solução para a administração de condomínios grandes, por facilitar minha comunicação com 130 apartamentos, cerca de 350 condôminos, ao mesmo tempo. Mas depois, com condomínios menores, percebi que sem o aplicativo eles se tornam grandes, principalmente fazendo a gestão de vários ao mesmo tempo”.

Agora, em meio às adaptações trazidas pelo Coronavírus, Juliano tem feito todos os anúncios oficiais através da ferramenta Circulares do aplicativo, reduzindo a zero a quantidade de avisos nos elevadores – os condôminos, inclusive, têm optado pelas escadas como forma de precaução.

“A grande maioria dos moradores está sendo bem cuidadosa. Isolamos áreas, fechamos um dos portões para maior controle da portaria, essas coisas. O fechamento da quadra de tênis gerou um certo desconforto, mas nós estamos seguindo os decretos. O síndico pode ser responsabilizado por não cumpri-los”, explica Santaella.

Já no condomínio administrado por Lucas Kehrwald, conscientizar os condôminos tem sido mais desafiador. “Bem no começo, após a publicação dos primeiros decretos do prefeito, houve bastante preocupação por parte dos moradores. Mas, de uns dias pra cá, vimos mais gente circulando pelo condomínio, recebemos pedidos de reabertura dos espaços comuns, etc. Foi preciso reforçar os avisos e publicar mais circulares”, revela o vice-síndico.

No condomínio onde Lucas Kehrwald é vice-síndico, os moradores compartilham suas dúvidas no Fórum do app.

Para Lucas, contar com a tecnologia é essencial, especialmente para se comunicar com todos os moradores das 400 unidades do condomínio que ajuda a administrar. Neste período de quarentena, o aplicativo TownSq tem auxiliado também os moradores a expressarem suas dúvidas e, ao mesmo tempo, ficar em casa em segurança. “Pra gente, o que mais tem ajudado são os comunicados, feitos via Circulares, e os Fóruns, nos quais os vizinhos trazem suas dúvidas, principalmente sobre áreas comuns”.

Tendo em vista as melhorias que o aplicativo traz para a vida em condomínio e a atual crise mundial que enfrentamos perante o Coronavírus, a TownSq está fazendo a sua parte através de campanhas solidárias. A primeira delas é a disponibilização gratuita das funcionalidades de comunicação do app (Chamados, Circulares, Mensagens, Fórum e Documentos) para novos usuários. Ou seja: se o seu condomínio ainda não tem o aplicativo, síndicos ou moradores podem solicitar o serviço gratuitamente, contando com o apoio da equipe de atendimento para a implantação do mesmo. 

Quem já é usuário do aplicativo também foi impactado com outras medidas internas, como o incentivo à solidariedade com vizinhos do grupo de risco. A partir do envio para os síndicos de modelos de circulares convidando os moradores a unir-se à iniciativa, eles as publicaram em seus condomínios e logo receberam depoimentos de moradores que se disponibilizaram a ir às compras e facilitaram a rotina dos idosos.

Coronavírus e a solidariedade: como ajudar seus vizinhos em tempos de isolamento

Além disso, a TownSq também enviou para toda a sua base de clientes sugestões mapeadas de negócios locais essenciais, como mercados, farmácias, padarias, entre outros. Assim, ficou mais fácil para cada usuário identificar empresas pequenas e próximas que podem suprir suas necessidades durante a quarentena. Menos deslocamento, mais apoio a quem mais precisa agora.

Scroll Up