O papel do síndico no censo 2020

2020 é ano de Censo do IBGE, e o síndico desempenha um papel importante nele. O período de coleta, quando os recenseadores visitam imóveis Brasil a fora, acontecerá entre 1º de agosto e 31 de outubro desse ano. De acordo com a Lei 5.534, todo brasileiro está sujeito a prestar informações ao IBGE obrigatoriamente, inclusive quem mora em condomínio.

 

Liberar ou não a entrada?

A coleta em condomínios é diferente de fora deles, uma vez que muitos são fechados e o acesso só acontece sob autorização de porteiros e síndicos. Pensando nisso, o IBGE vem desenvolvendo, desde o ano passado, uma campanha de conscientização e troca de informações com síndicos pelo país.

O coordenador operacional do censo no Rio Grande do Sul, Luis Eduardo Puchalski, conta que as maiores dificuldades encontradas pelos recenseadores em condomínios dizem respeito ao desconhecimento do trabalho realizado pelo Instituto e a insegurança de colaboradores do condomínio e síndicos em liberar a entrada de um estranho. 

Ele lembra que o IBGE não é um órgão fiscalizador, e que os recenseadores, aqueles que coletam os dados durante o censo, não precisam ter acesso ao edifício para realizar a entrevista, uma vez que ela pode acontecer por interfone e até fora do prédio, sendo agendada diretamente com o morador. 

 

Qual é o papel do síndico?

O síndico não precisa pessoalmente autorizar a entrada de recenseadores, nem fiscalizar a atividade dos mesmos. O importante aqui é que ele oriente os demais colaboradores do condomínio, especialmente aqueles que controlam entrada e saída, a permitirem o contato entre recenseadores e moradores.  Luis Eduardo cita exemplos de condomínios que tomaram a iniciativa de facilitar o trabalho da coleta de dados, organizando um encontro entre recenseador e moradores no salão de festas, no final de semana.

 

Como identificar o recenseador?

Ele estará identificado com boné, colete, crachá e bolsa, todos com a logo do IBGE. No crachá, é possível encontrar o nome e a matrícula do recenseador. Essas informações podem ser confirmadas pela internet ou pelo 0800 721 8181.

O coordenador do censo no RS lembra que, em condomínios de até 200-250 unidades, um único recenseador realizará a coleta. Já em condomínios com mais unidades, mais de um recenseador pode realizar a visita. Lembrando que o IBGE não entrará em contato com os condomínios ou síndicos previamente ao período de coleta de dados.

 

Novidade: resposta pela internet

Em 2019, durante o teste do censo aplicado pelo IBGE em Poços de Caldas-MG, a opção de preenchimento do questionário via internet estava disponível. O resultado foi positivo, e segundo Luis Eduardo, essa modalidade será aplicada a nível nacional esse ano. Os detalhes do preenchimento online ainda não foram definidos, mas acontecerá no início do período de coleta. Quem estiver habilitado a responder ao questionário nessa modalidade receberá um e-ticket via correio em julho. Para o restante, quem não receber o e-ticket ou não responder digitalmente, o questionário será respondido presencialmente.

 

Como funciona o censo?

A coleta de dados acontece de duas formas: através de um questionário básico, com 26 questões, que leva de quatro a cinco minutos para ser respondido, ou pelo questionário por amostra, com mais questões e que leva mais tempo. Você pode ter acesso às perguntas do questionário básico aqui. Basta um morador de cada domicílio para responder.

 

Então síndico, preparado para o Censo 2020? Restou alguma dúvida a respeito do processo e seu papel nele? Deixe seu comentário abaixo.

 

Scroll Up